domingo, 4 de dezembro de 2016

Não há natal sem gilbardeira...


Queridos amigos,
Esta é uma das minhas plantas favoritas no inverno em geral e no Natal em particular, tem bagas com o o azevinho e nas jarras dura várias semanas, no fim de semana passado, apanhei umas braçadas de gilbardeira e ainda hoje são lindas e viçosas. São uma excelente alternativa para arranjos e coroas de Natal. Têm picos por isso convém usar luvas quando as apanha-mos, aparecem de forma espontânea em grande parte do pais, podem cultivar-se em jardins, em zonas mais frescas e em solos ricos em matérias orgânica. Aqui ficam algumas imagens como inspiração da Gilbardeira ( Ruscus aculeatus






Obrigado pela visita
Até breve
Teresa 

Imagens via: Pinterest

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

A Jardins de dezembro e janeiro já está nas bancas !



Queridos amigos,
Esta é talvez a capa mais difícil de escolher..pois é um numero duplo e tem o Natal !
Acho que está linda e cheia de artigos úteis e agradáveis de ler..
Espero que gostem !
Aqui deixo a capa e o meu editorial

Tempo de paragem e de recomeço

Na natureza, esta é a época da calma, da serenidade; também no jardim, é tempo de paragem, de observação e de recomeço. Muitas são as tarefas que podemos fazer agora e que não temos tempo para fazer noutra altura do ano, muitos são os desafios que podemos lançar a nós mesmos no novo ano, cultivar mais, ter uma alimentação mais saudável, observar mais a natureza e aprender com ela.
No Natal, as plantas sempre estiveram presentes de forma muito ativa, o incenso e a mirra não são mais do que óleos de plantas e o que dizer da tão famosa árvore de Natal, que foi trazida para Portugal pelo rei D. Fernando II para recordar a sua infância na Alemanha.
Vamos aproveitar as colheitas de inverno, espinafres, violetas e até as urtigas que são muito úteis para a alimentação e saúde. Porque não apostar em cultivar germinados e microvegetais em casa? Não precisa de espaço nem de grande tempo, só mesmo vontade e vai dar um ar gourmet e saudável às suas refeições.
Fazer uma coroa de Natal, com os restos das podas, pinhas e bagas que apanha no jardim, ou uma árvore de Natal, com as plantas suculentas, pode ser uma excelente forma de entreter crianças e adultos nos fins de semana de inverno.
Aproveite bem estes dois meses e passeie sem sair de casa pelos maravilhosos jardins do Vaticano, uma obra de arte única.
Tenham um feliz Natal e um ano de 2017 mais dedicado à natureza e à jardinagem!

Até breve
Teresa

terça-feira, 22 de novembro de 2016

A árvore- da-memória

Queridos amigos,
Há uma árvore que nesta altura do ano nos surpreende pela beleza da sua floração cor de rosa, é a Chorisia especiosa ( Ceiba especiosa), paineira, também chamada de árvore-da-memória pois floresce na "primavera" do seu pais de origem , o Brasil. É uma árvore que gosto muito de usar pois tem a floração quando todas as outras estão a perder a folha. É linda, resistente, tem a particularidade de ter o tronco com espinhos e um tronco em forma de garrafa. Ainda esta semana as vi em flor no Estoril e são lindas. No seus países de origem fica com uma enorme barriga, mas por cá só as tenho visto com uma ligeira barriga.
Aqui ficam algumas imagens para inspiração:

 A flor é linda
Os picos ao longo do tronco, não é muito boa para se colocar em zonas com muitas crianças pois os picos são agressivos e furam bolas, balões, etc..
 Na Europa e América do Norte os troncos ficam mais altos e esguios 

 No Brasil, Argentina e Japão, ficam muitas vezes com estas barrigas, penso que são adaptações da planta às condições climatéricas e de solo


Para quem quer saber mais


Ceiba speciosa (A.St.-Hil.) Ravenna (paineira)

Árvore de grande porte, originária das regiões da Argentina e do Brasil. Tronco de cor verde acinzentada, de textura espinhosa, apresenta uma forma mais larga na base do que no topo, sendo por isso apelidada de barriguda. Apresenta folha caduca e uma floração cor-de-rosa de outubro a dezembro. O fruto é uma cápsula deiscente.

Família:  Bombacaceae

Altura: 30 m

Propagação: Por semente ou por estaca.
Época de plantação: Primavera.
Condições de cultivo: Plena exposição ao sol, solos férteis e bem drenados.
Manutenção e curiosidades: Resistente e de rápido crescimento. Apelidada de árvore-da-memória, pois floresce na época correspondente à primavera do local de origem (Brasil e Argentina), o nosso outono.



Obrigado pela visita
Até breve
Teresa

Imagens : Pinterest

domingo, 20 de novembro de 2016

A beleza do azevinho..

Queridos amigos,
Chove, o frio finalmente começou a aparecer e já cheira a Natal, há plantas que são inconformáveis nesta época, o azevinho é uma delas. Gosta de zonas mais frias e mais secas, mas dá-se bem em vasos e floreiras. Tem um crescimento lento, mas todos os anos nos presenteia com bagas encarnadas nesta época. Lembro-me com saudade do azevinho do jardim dos meus pais em Santarém, foi o meu pai que o plantou há mais de 15 anos e lá continua..embora já não o veja, acredito que lá continuará por muitos anos.
Aqui ficam algumas imagens inspiradora do azevinho, que é imprescindível nesta época.










Ilex aquifolium
Ilex aquifolium variegata
Família: Aquifoliaceae
Origem: Europa
Nome vulgar: azevinho
Ciclo de vida: Arbusto perene
Propagação: Por estaca
Época de plantação: Outono
Época de Floração: Primavera, Frutificação Outono-Inverno
Cor de floração: Branca
Altura: até 2 m
Distância de plantação mínima: 1 m
Condições de cultivo: Meia sombra ou sombra. Solo fértil e bem drenado e com pH ligeiramente ácido. Não gosta de sol directo.
Utilização: Vasos, canteiro, maciço ou isolado. Espécie protegida, não apanhar na natureza
Manutenção: Não precisa de manutenção especial. Adubação anual. Poucas regas.
Obrigado pela visita
Teresa

Imagens : Pinterest